terça-feira, 12 de junho de 2012

Pontos de vista # 1

Bem, esta imagem também deu uma ajudinha para a tal re(investida)! Posso considerar-me uma apreciadora... não, isso é pouco... uma amante, dos livros de Murakami. E eu não digo isto muitas vezes, assim à boca cheia! É que sou mesmo viciada! Se não o ler durante algum tempo, lá vou eu à procura e ponho-o à frente de tudo o que se eterniza nas filas de espera. Não lhe resisto, enfim! E o problema é que já li quase tudo. Como é que vai ser depois? E então vi hoje, na internet, esta imagem fantástica que, basicamente, quis partilhar! Para mim tem um significado muito especial. Resume, de forma divertida, um pouco do que Murakami nos transmite. Realmente, nos seus livros (e vou incluir só os que li, como é óbvio) são recorrentes os gatos (acho que nunca li nenhum sem gatos), o diálogo com os gatos e outros (muitos) poderes sobrenaturais, alguns relacionados com os desaparecimentos inexplicados. Adoro as suas mulheres misteriosas e a aura que delas emana. Adoro o modo como os homens gostam delas. Nunca me apercebi do «fetish» por orelhas, engraçado... A música - delicio-me com as suas referências musicais - procuro-as inúmeras vezes na internet, fecho os olhos e sinto-me lá, dentro do livro! Jazz, principalmente transmite-nos jazz! Outros sons recorrentes são os toques do telefone e as vozes com conversas esquisitas que dele saem... Também me fascinam os cozinhados das suas personagens. Não sei porquê, não consigo interpretar, mas quase sempre cozinham esparguete... pode ser acompanhada com outros alimentos... mas esparguete é que se destaca! Bem, nomes pouco comuns são todos… para mim são todos… em japonês não poderia ser de outra forma, calculo.Os flashbacks históricos estou agora a descobri-los - pelo menos os que têm dimensão para se chamarem assim, digo eu... As suas Estações de comboio são locais incríveis, de encontros, desencontros, partilhas, dádivas, de esperança, de separação... basicamente, podem lá conter tudo. Ah e Tóquio. Muito acontece em Tóquio! Sendo tantas vezes fantástico, como é que nos faz acreditar na sua realidade onírica? Acreditar mesmo! A pontos de entrar nos nossos sonhos reais...

1 comentário:

ElisaBete disse...

Tenho ficado atenta às orelhas! São mesmo descritas ao pormenor, existindo espécimes para todos os gostos. Na «Crónica do Pássaro de Corda», deve ser a parte do corpo descrita com maior pormenor. Vou continuar atenta...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...